Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Dois dos veículos de comunicação de maior credibilidade do País, o jornal O Estado de S. Paulo e a TV Cultura acabam de fechar uma parceria de conteúdo, para a exibição de reportagens em vídeo produzidas pelo Estadão no Jornal da Cultura e em outros jornalísticos da emissora.

A estreia acontece no dia 7 de novembro, com um episódio da série especial Deixa Ela, que reúne nove reportagens sobre o papel da mulher na sociedade contemporânea. Fruto de uma parceria entre o Estadão, o Facebook e o ICFJ (International Center for Journalists), a série Deixa Ela contempla temas como carreira, política, violência, educação e cultura, com histórias de mulheres que superaram barreiras e se destacaram em suas áreas de atuação. Os episódios serão exibidos no Jornal da Cultura, levado ao ar a partir das 21h15.

O presidente da TV Cultura, José Roberto Maluf, ressalta que essa é uma iniciativa pioneira, que propiciará ao público dos dois veículos um conteúdo diversificado e de muita qualidade, em diferentes segmentos, como política, cultura, esporte e comportamento. “Assim como a TV Cultura, o Estadão sempre se pauta pela isenção e pluralidade. Aliar a principal emissora pública do País a um grupo que há mais de 140 anos preza pelo bom jornalismo e estimula o senso crítico, é bastante motivador, pois sabemos que todos só terão a ganhar com essa parceria”.

O diretor de Jornalismo do Grupo Estado, João Caminoto, avalia que a parceria com a TV Cultura levará o conteúdo de excelência do Estadão ao público qualificado da emissora. “A Cultura tem uma história de produção jornalística relevante, muito premiada. Quem mais ganha com essa união é o público, pois o Estadão tem fortalecido sua produção audiovisual e levará à emissora o melhor de nossas reportagens especiais”, conclui Caminoto.

Sobre a TV Cultura

A TV Cultura completa 50 anos como a principal emissora pública do país, sustentada por três pilares: Cultura, Educação e Informação. Com programação premiada e voltada para diversos públicos e faixas etárias, destaca-se no cenário nacional pelo conteúdo atual, atrativo, crítico, democrático e inovador, dedicado ao desenvolvimento do cidadão.

Desde sua criação, em 1969, a emissora conquistou mais de 400 prêmios nacionais e internacionais dos mais relevantes, pela ampla oferta de conteúdo. Em sua trajetória, a TV Cultura contabiliza, entre outras renomadas premiações, 12 troféus Prix Jeneusse, quatro Emmy Awards, disputados por emissoras de diversos países, e mais de 90 Prêmios APCA (Associação Paulista dos Críticos de Arte). Além disso, foi tida como a segunda melhor emissora do mundo em qualidade de programação, atrás apenas da BBC One, de acordo com pesquisa encomendada pela BBC.

O Jornalismo é uma marca forte da emissora, que está sempre aberta ao esclarecimento, reflexão e debate dos temas mais relevantes no País e no mundo, em programas que incluem o Jornal da Cultura e o Roda Viva.

Presente nas cinco regiões brasileiras, hoje a programação da TV Cultura chega a mais de 5 mil municípios, por TV aberta, parabólica e assinatura, alcançando 154 milhões de habitantes em todo o país.

Sobre o Estadão

Com 144 anos de existência, o jornal O Estado de S. Paulo é uma instituição nacional e um dos mais reconhecidos órgãos de imprensa do mundo. Uma das dez empresas mais antigas em atuação no Brasil, mantém sua independência jornalística desde a fundação, em 4 de janeiro de 1875, quando se chamava A Província de São Paulo.

Desde então, O Estado de S. Paulo, como passou a se chamar após a Proclamação da República [ou Estadão, como a sociedade apelidou espontaneamente o jornal em reconhecimento à grandiosidade de seu número de páginas e à importância de seu conteúdo] noticiou e teve atuação decisiva nos principais fatos da cidade, do País e do mundo.

Além da sua função elementar de informar, nas páginas do Estadão os mais variados intelectuais e jornalistas escreveram textos que mudariam o curso da história, sendo o veículo que enviou Euclides da Cunha como repórter especial para Canudos e o jornal onde Monteiro Lobato publicou seus primeiros textos. Exemplos como esse se estendem por outras áreas como esporte, cultura, comércio, economia, política e educação, tornando-se um dos veículos mais reconhecidos e premiados da imprensa brasileira e mundial.

Sempre na vanguarda tecnológica, o Estadão constantemente aprimora e amplia o seu ofício de informar, publicando notícias e conteúdos de interesse público nos mais diferentes formatos, do papel ao digital, passando pelas ondas de rádio ou qualquer novo meio de transmissão onde seus leitores precisem de conteúdos de qualidade e credibilidade.