Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Muitas pessoas não suportam os chiliques das crianças até que se tornam pais e têm que lidar com a situação. É importante que os filhos aprendam, desde casa, que nem tudo acontece da forma que eles esperavam e, assim como em todos os locais, lá também é preciso alguns limites em seu comportamento.

Mas como administrar um filho birrento no dia a dia? Nesta semana, o Momento com o Especialista traz bons conselhos de pediatras, que mostram como resolver a situação na base do diálogo.

Olá, meu filho Miguel tem três anos. Desconfiamos que ele fica doente, com febre forte e vomita se tiver vontade de comer algo e não damos. Geralmente, pipoca, batata frita ou balas. Doutor, você sabe se é fato ou lenda?

- Jeremias Resende

Resposta: Por incrível que pareça, isso se chama birra, que é um capítulo imenso da pediatria. Como tratar? Primeiro, você deve ter dobrado a birra dele. Desde então, muitas vezes que ele chorou, que ele vomitou, você cedeu a batata frita, a bala, e isso o acalmou. O que ele aprendeu? Que fazendo isso ele consegue.

Eu tive um paciente cujo caso era impressionante e era filho de uma pediatra. Ele tinha febre, convulsão. Nós tivemos que fazer exames para provar que aquilo era birra. A primeira coisa é: sempre ter plateia. Quando você está por perto é aquele escândalo todo, quando você sai de perto, a criança levanta e com o tempo isso vai acabando.

Às vezes, o que acontece? Em casa, o pai também come bala, a mãe come batata frita e a criança se pergunta: por que eu não posso comer também? Tem que ver isso, qual é o exemplo que os pais estão dando?

- Dr. Jorge Huberman


Tenho gêmeos de quatro anos. A menina Laura é muito independente e tranquila. Quando faz algo que precisamos chamar atenção, ela entende na hora e corrige tranquilamente. Já o menino, Felipe, sempre que é contrariado, ele faz birra, fica de bico, se retorce todo e demora para atender a um não. Eu não sei mais o que fazer.

- Jéssica Souza

Resposta: Você precisa observar um pouquinho a sua dinâmica na família. Provavelmente, como ele chama mais a atenção, você atende primeiro a ele, prontamente. Então, ele aprendeu que, chorando, fazendo escândalo, vai ser atendido. É melhor você conversar, porque com quatro anos ele já entende muito bem.

Mas não faça isso na hora da birra, e sim quando ele estiver tranquilo. Nesses momentos, diga o que você quer que ele faça, como você quer, explica como é a dinâmica da sua casa: “olha, aqui na nossa casa é assim que as crianças vão fazer, que tem que ser feito, que é certo”. Explica aquilo que você quiser e deixe de atendê-lo na hora da birra. Você vai ver que melhora bastante.

- Dra. Izi Pozzi

Veja mais sobre como lidar com os chiliques dos filhos em edição do programa Momento Papo de Mãe.

Envie você também a sua pergunta pelo e-mail: momento@papodemae.com.br.