Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Antigamente, um bebê gordinho era sinal de saúde e de fofura. Mas, apesar daquelas dobrinhas deixarem a criança ainda mais graciosa, o assunto de hoje tem preocupado os especialistas da saúde, já que a obesidade infantil é um problema sério e que precisa ser tratado com muita atenção.

A alimentação tem um papel fundamental na questão, mas existe também o fator genético, que não pode ser desconsiderado. Então, como saber se a criança está acima do peso? No Momento com o Especialista desta semana, o pediatra e homeopata Moisés Chencinski tira dúvida sobre o tema.

Minha filha tem 3 anos e 4 meses e pesa 15 quilos. Gostaria de tirar a dúvida se isso é normal, pois eu e o pai dela não somos muito altos.

- Claudia Santos Aquino

Resposta: Quando avaliamos o crescimento de uma criança, muitos fatores são levados em consideração. As características genéticas são parte importante dessa avaliação. Mesmo assim, a análise deve ser feita não em um ponto isolado, um dado único, e sim na evolução dos pesos e estaturas, acompanhando a velocidade de crescimento. O pediatra, em consulta, faz essa avaliação por meio da observação dos dados em um gráfico da OMS (2016) e pode intervir quando necessário.

Saiba mais como cuidar da alimentação do bebê em edição do programa Momento Papo de Mãe.

Envie você também a sua pergunta pelo e-mail: momento@papodemae.com.br.