Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Para muitos pais, a preocupação com a quantidade de remédios dados aos pequenos é constante. Medicamentos comuns, como antibióticos e corticoides, podem causar efeitos adversos com o tempo. A Dra. Denise Lellis dá algumas dicas de como evitar o uso excessivo desses fármacos por meio do acompanhamento constante com um pediatra ou outros especialistas, evitando a ida desnecessária ao pronto-socorro.

Pergunta: Tenho muitas dúvidas e receios sobre os prós e contras de medicamentos, tais como antibióticos, corticoides, vitaminas (ferro mancha os dentes?), enfim, medicamentos muito prescritos e utilizados nesses primeiros anos de vida das crianças, principalmente as que frequentam creche e ficam mais doentinhas, como a minha filha Valentina, de um ano e meio.

- Wiviane Ribeiro Rosa

Resposta: Olá Wiviane, tudo bem? De fato, algumas dessas medicações, como antibióticos e corticoides, são excessivamente prescritas, em especial em serviços de urgência e emergência pediátrica. Nessas situações, o pediatra não terá a oportunidade de acompanhar ou reavaliar a criança, então pode acabar sendo cuidadoso demais. A fim de evitar isso, a melhor opção é ter um pediatra que siga sua filha e a avalie sempre que necessário para, assim, impedir o uso desnecessário dessas medicações.

Claro que, quando são necessários, antibióticos e corticoides salvam vidas e devem ser usados, mas sempre com um diagnóstico certo e o devido acompanhamento.

Vitaminas já são outro assunto. A maioria das crianças de São Paulo ainda tem taxa de ferro e vitamina D abaixo do ideal. A infância é uma fase valiosa demais da vida e não se deve permitir que deficiências vitamínicas evitáveis coloquem em risco a saúde dos nossos futuros adultos. Converse com seu pediatra e veja as melhores opções de vitaminas para a Valentina.

Pergunta: Minha filha tem 3 anos e meio e muita infecção de garganta. Só neste ano, já aconteceu quatro vezes, e o problema só passa com antibióticos. Será que ela precisa operar as amígdalas?

- Gisele

Resposta: Gisele, tudo bem? Com certeza ela precisa de uma avaliação cuidadosa. Hoje em dia, existem exames para ser feitos quando a criança está com infecção de garganta e que confirmam se a a causa é viral ou bacteriana. Se as infecções dela foram bacterianas, o uso frequente de antibiótico pode ser ruim e talvez seja necessário operar as amígdalas. Se as infecções forem virais, talvez não seja necessário. Então converse com seu pediatra e, se necessário, faça avaliação com um especialista.

Envie você também a sua pergunta pelo e-mail: momento@papodemãe.com.br.