Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 66.028 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Ruth Escobar, umas das atrizes e produtoras mais admiradas do Brasil, é homenageada no Persona em Foco desta quarta feira (11/10). Apresentado por Atílio Bari e Analy Alvarez, o especial relembra vida e carreira da artista, que faleceu no último dia 5. Vai ao ar às 23h, na TV Cultura e no canal no YouTube.

Nascida em Portugal, no dia 31 de março de 1935, Maria Ruth dos Santos Escobar marcou o mundo artístico com sua ilustre personalidade, tornando-se uma atriz de destaque e uma das mais importantes produtoras culturais do Brasil. Ela, que dedicou vários anos de sua vida ao teatro, foi precursora do Teatro Popular Nacional, onde transformou um ônibus em palco e levou espetáculos para a periferia de São Paulo, em 1964.

Além de suas atividades artísticas, Ruth se notabilizou por sua posição política e social, levantando a voz nas grandes questões nacionais, como o episódio da morte do jornalista Vladimir Herzog. O programa apresenta entrevistas com a artista, nas quais ela conta sobre sua vida, seu primeiro amor, suas peças e as perseguições que sofreu na ditadura.

Entre suas declarações, Ruth comenta: “talvez essa obsessão em trazer a beleza para os outros seja para desviar a atenção de mim mesma. Desde menina eu me acho feia, mas eu quero mostrar aos outros a capacidade que tenho de trazer a beleza e a força que os artistas e a arte têm.”

O Persona em Foco ainda exibe depoimentos de Nilda Maria, Antônio Abujamra, Marília Pera, Jefferson Del Rios, Regina Duarte, Clarice Herzog, José Eduardo Gianotti, Sérgio Mamberti e Jô Soares, que diz “se não fosse por Ruth Escobar, eu não teria a audácia de começar a minha carreira de diretor. Obrigado, sempre.”