Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 11.544 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Nadja Kouchi
Nadja Kouchi Mariana Kotscho e Mariana Manreza

A depressão é uma doença comumente associada a adultos. No entanto, muitas crianças e adolescentes acabam desenvolvendo o distúrbio mental. Para ter um norte de como lidar com a situação e entender a melhor maneira de agir nesse momento tão delicado, o Papo de Mãe aborda o assunto. Apresentado por Mariana Kotscho e Roberta Manreza, o programa vai ao ar neste sábado (26/8), às 8h, na TV Cultura.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a depressão afeta 350 milhões de pessoas no mundo e é mais prevalente entre as mulheres. Mas, entre crianças, o índice de depressão também é preocupante. Nos últimos 10 anos, de acordo com a entidade, o número de diagnósticos em pessoas entre 6 e 12 anos passou de 4,5% para 8%.

Nesta edição, as mães Fabiana, Adriana, Neila e Thelma contam suas experiências ligadas ao tema. No caso de Fabiana, quem tem depressão é seu filho de 19 anos, que também foi diagnosticado com epilepsia. Ela revela que o garoto chegou a ficar quase um mês sem sair do quarto e se nega a fazer qualquer acompanhamento psicológico.

Já a filha de Adriana teve um quadro sério de síndrome de pânico seguido de depressão quando estava com apenas 6 anos. A família tinha acabado de mudar de cidade e a menina sentiu muito a mudança.

Neila teve depressão. Ela diz que o processo teve início em 2006, desencadeado por uma crise de pânico. Ela parou de comer, só conseguia ingerir líquidos, fumava sem controle e se isolou de tudo e de todos. Em meio a esse caos, ainda teve que lidar com a separação. O filho sentiu tudo isso e desenvolveu uma agressividade preocupante e um início de depressão.

Thelma conta que já teve três momentos complicados de depressão, sendo que o último ainda está em tratamento, com ela afastada do trabalho, tomando medicamentos e fazendo acompanhamento psicológico. O filho mais novo de 6 anos sofre junto e já presenciou momentos complicados da mãe.

Além delas, a Dra. Ivete Gattás, psiquiatra da Infância e Adolescência do Departamento de Psiquiatria da Unifesp, e Armando Ribeiro, psicólogo, também participam do programa.