Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 11.544 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

Momento com o Especialista

Os cuidados com a alimentação de uma criança vão desde a amamentação do recém-nascido até a introdução de novos nutrientes na dieta do bebê. Por isso, é importante que mães, pais e responsáveis estejam atentos aos cuidados necessários para que este momento seja o mais prazeroso e agradável possível, balanceando o cardápio infantil com grãos, cereais, carboidratos, proteínas, fibras e gorduras.

Todos esses elementos, quando combinados da maneira correta, colaboram para uma maturidade física e psicológica dos pequenos. No entanto, essa responsabilidade pode gerar muitas dúvidas nos pais, sobretudo no que diz respeito à reação dos filhos perante as restrições alimentares. Para compreender melhor esse processo, confira as dicas da psicóloga Renata Yamasaki e da pediatra Rafaella Calmon.

Pergunta: Minha filha tem dois anos e meio e não quer saber de comida. Para fazê-la comer, preciso brigar. Ela só quer saber de mamadeira. O que fazer?

– Andreia

Resposta: Primeiramente, reduza o número de mamadeiras. Ofereça menos quantidade de alimentos e mais porções várias vezes ao dia. Coloque sempre duas opções: frutas, sucos e cereais são ótimos. Eles não ficam sem comer se estão com fome.

– Dra. Renata Yamasaki, psicóloga

Pergunta: Minha bebê tem seis meses e, às vezes, ela fica enjoada sem motivo aparente. Nada está bom pra ela, não a entendo e me questiono se sou uma boa mãe.

– Larissa

Resposta: Sempre somos boas mães! Estamos apenas nos adaptando e entendendo o funcionamento dos bebês. Neste caso, acho importante procurar o pediatra para ver se ela está com refluxo, porque isso deixa a criança bem incomodada.

– Dra. Renata Yamasaki, psicóloga


Pergunta: Meu pequeno vai fazer oito meses e não come direito. Ele come quatro colherezinhas e não quer mais. Depois chora muito para tomar leite. O que eu posso fazer? E ele sua muito, mesmo no frio. Não sei o que colocar nele, podem me ajudar?

– Ana Cristina

Resposta: Ana, primeiramente, acho que vale a pena te contar que o leite materno ou a fórmula são a principal fonte de alimentação do bebê até os 12 meses. A introdução alimentar é um processo que se inicia aos 6 meses, mas que vai se estendendo até os 2 anos de idade. Não tenha pressa ou fique ansiosa com isso. Talvez a forma de apresentar os alimentos possa ser modificada. Deixe o bebê pegar na comida, levar à boca sozinho e explorar mais. Tente não substituir as refeições principais por leite. Reveja a rotina alimentar dele e procure uma nutricionista infantil para te ajudar. Quanto à sudorese, isso é individual mesmo, então agasalhe ele normalmente e somente troque as roupas com mais frequência para evitar que ele fique frio e molhado em dias mais gelados.

Dra. Rafaella Calmon, pediatra

Pergunta: Quando meu filho fez 3 meses, comecei a inserir fórmula pois precisava voltar ao trabalho. Percebi, então, que começaram a aparecer umas manchinhas brancas em seu corpo. Mudei de fórmula passei a dar o 0 lactose, e novamente as machinhas voltaram a surgir... será que ele tem alergia ao leite de vaca ou essas machinhas não ter a ver com a reação da fórmulas?

– Franciely

Resposta: Franciely, as fórmulas sem lactose tem a proteína inteira do leite de vaca, então não influencia em nada nos casos de alergia. A única coisa é que não tem a lactose (açúcar do leite), que para intolerantes dá sintomas como desconforto gastrointestinal, então você está trocando seis por meia dúzia neste caso. Acho que você deve procurar o pediatra dela para discutirem sobre a melhor opção, porque pode ser um quadro leve de alergia ao leite, mas isso tem que ser avaliado pelo pediatra na consulta.

– Dra Rafaella Calmon


Também tem dúvidas? Mande para o e-mail momento@papodemae.com.br.
Imagens: divulgação.