Fundação Padre Anchieta

Custeada por dotações orçamentárias legalmente estabelecidas e recursos próprios obtidos junto à iniciativa privada, a Fundação Padre Anchieta mantém uma emissora de televisão de sinal aberto, a TV Cultura; uma emissora de TV a cabo por assinatura, a TV Rá-Tim-Bum; e duas emissoras de rádio: a Cultura AM e a Cultura FM.

CENTRO PAULISTA DE RÁDIO E TV EDUCATIVAS

Rua Cenno Sbrighi, 378 - Caixa Postal 11.544 CEP 05036-900
São Paulo/SP - Tel: (11) 2182.3000

Televisão

Rádio

Acontece

São Paulo, 1º de fevereiro de 2016 - No próximo final de semana, a TV Cultura leva ao ar uma série de programas dedicados ao Carnaval, incluindo musicais, filme e documentários, com grandes nomes como Cartola, Adoniran Barbosa, Aracy de Almeida, Carmen Miranda e Martinho da Vila.

Na madrugada de sexta para sábado (6/2), às 2h30, a emissora exibe o Repertório Popular. Neste programa da série Ponto de Encontro, gravado ao vivo em 1980, o samba do morro de Clementina de Jesus e o samba de asfalto com sotaque italiano de Adoniran Barbosa se encontram. Apesar da idade avançada, eles mostram muito bom humor e disposição ao interpretar seus sucessos, como Marinheiro Só (Caetano Veloso), Tantas Você Fez (Candeia), Não Vadeia, Clementina (Candeia), Tiro ao Álvaro (Adoniran Barbosa e Oswaldo Moles) e Bom dia, Tristeza (Adoniran Barbosa e Vinicius de Moraes).


De sábado para domingo (7), à 0h45, o Cine Brasil apresenta o filme Carnaval em Lá Maior. No longa, um homem não consegue parar em nenhum emprego. Um rapaz, também permanentemente desempregado, se apaixona por sua filha, mas não consegue pedir a mão da moça, sendo impedido por uma série de circunstâncias. Dirigida por Adhemar Gonzaga, a comédia musical traz no elenco Sandra Amaral, Juliano Randal, Jane Batista, Mario Sena, Gilberto Chagas, Celina Amaral, Luiza de Oliveira e Rosa Maria.


Em seguida, às 3h, a TV Cultura leva ao ar o Vox Populi com o cantor e compositor Cartola. O artista explica a origem de seu apelido e o início de sua carreira. Fala ainda sobre Carnaval, escolas de samba, como escreveu As Rosas Não Falam, seu relacionamento com o público e o casamento com Dona Zica.

A partir das 4h, no programa Imagem do Som, Martinho da Vila apresenta o show intitulado Brasilatinidade. Gravado no Tom Brasil, em São Paulo, em 2005, o espetáculo conta com músicas do álbum de mesmo nome, além de canções que fizeram sucesso em sua carreira, como Devagar, Devagarinho e a regravação de Feitiço da Vila, de Noel Rosa, numa mistura de ritmos latinos à musicalidade brasileira.

No domingo (6), às 7h, a emissora exibe o Mosaicos – a Arte de Aracy de Almeida. Narrado por Rolando Boldrin, o documentário musical promove o encontro do compositor Paulinho da Viola com o diretor de televisão Fernando Faro, do programa Ensaio. Amigos de Aracy de Almeida relembram histórias e comentam a trajetória artística da cantora. Paulinho também interpreta algumas músicas do repertório de Aracy, como o samba Tenha pena de mim. Outros destaques do programa são as participações das cantoras Paula Santoro, Juliana Amaral e do trio Revista do Samba, que apresentam releituras dos grandes sucessos gravados por Aracy. O programa ainda recupera nos arquivos da TV Cultura imagens históricas da homenageada, como sua presença nos programas MPB Especial (1972), Aquarelas do Brasil (TV Tupi, 1977) e Vox Populi (1979).

Também no domingo de Carnaval, a partir das 11h, o público confere o Samba na Gamboa, apresentado por Diogo Nogueira. Embalado pelo sentimento da saudade, o programa convida Claudio Jorge e Elton Medeiros a se voltarem um pouco ao passado, resgatarem figuras queridas que se foram, sambas que foram esquecidos, e dias que não voltam mais. O resultado é um papo nostálgico sem ser melancólico, que celebra a alegria de vidas ricas de história. Entre o repertório cantado, Onde a dor não tem razão, Peito vazio e O sol nascerá.

O programa Cultura Memória apresenta, às 23h30, o documentário A Embaixatriz do Samba. O longa aborda a trajetória da "Pequena Notável" Carmen Miranda nos dez anos pouco conhecidos de sua vida artística no Brasil, antes de se tornar estrela internacional, e o reflexo dessa fase nos 14 anos que Carmen viveu nos Estados Unidos como a "Brazilian Bombshell". São exibidos trechos raros de participações da artista em programas da televisão americana, como o Jimmy Durant show, de filmes da época e dos musicais que lhe consagraram no Brasil e no exterior.